No Plenário, Alvaro Dias fala sobre dívida pública, reformas e BNDES

0
2222

“Há um grande desencanto dos cidadãos em relação ao futuro, mas é preciso reavivar as esperanças em relação às instituições públicas e aos políticos de um modo geral”. A afirmação foi feita pelo senador Alvaro Dias, em pronunciamento na sessão plenária desta segunda-feira (11), ao falar sobre as dezenas de bilhões empregados pelo BNDES no incentivo aos chamados “campeões nacionais” e para viabilizar obras em outros países.

No seu discurso, o senador relembrou os números gastos pelos governos do PT e que sempre chocam a população. Alvaro Dias destacou que há hoje uma dívida de R$ 400 bilhões de empresários e bancos com a Previdência Social. “E, no caso desses empréstimos celebrados com os chamados campeões nacionais e com outras nações, foram retirados dos cofres públicos do Tesouro Nacional R$ 434 bilhões e pouco mais de R$ 300 bilhões do FAT, do FGTS e do Fundo de Marinha Mercante, perfazendo R$ 716 bilhões. Esse dinheiro todo, mal-empregado, saiu do bolso dos brasileiros, dos contribuintes, dos pagadores de impostos”, afirmou o senador.

Alvaro Dias também criticou, na Tribuna, a falta de atenção do governo Temer com o crescimento progressivo da dívida pública brasileira. Para o senador, o governo Temer fala muito sobre reforma da Previdência, mas se recusa a comentar sobre o problema da dívida. Para Alvaro Dias, o governo demonstra que é forte, que é prepotente, arrogante e corajoso em relação aos pequenos, mas que é frágil e acovardado diante do poderoso sistema financeiro nacional.

“Este governo tem receio de falar da dívida pública, de apresentar alternativas para uma melhor administração dessa dívida pública brasileira. Essa dívida cresceu de forma exorbitante, sobretudo em razão da farsa econômica que se estabeleceu no País a partir da contabilidade criativa quando o governo tentou simular um desenvolvimento que não ocorria. E quando o governo repassou recursos generosamente ao BNDES para que celebrasse empréstimos com os privilegiados chamados de campeões nacionais e com nações mais próximas ideologicamente daqueles que governavam o Brasil, essas nações governadas por corruptos e ditadores”, explicou.

Ao final de seu pronunciamento, o senador Alvaro Dias recomendou a leitura do livro “O Complô: como o sistema financeiro e seus agentes políticos sequestraram a economia brasileira”, do gaúcho Hermes Zaneti. O senador lembrou que o autor foi constituinte e responsável pelo dispositivo constitucional que obriga o governo federal a realizar auditoria da dívida pública brasileira.

“Recomendo o livro de Hermes Zaneti, que conta essa história toda dessa dívida monumental, desse crescimento exorbitante da dívida pública brasileira. Certamente a leitura desse livro nos orientará mais sobre o que realmente vem acontecendo com o crescimento extraordinário da dívida pública brasileira. As minhas homenagens ao Hermes Zaneti, esse gaúcho dedicado, idealista, que escreve essa obra para registrar os percalços do povo brasileiro que paga uma dívida monumental, que não foi criada por ele, mas sim por autoridades”, finalizou Alvaro Dias.